Pular para o conteúdo principal

Freedom in the feet | Stamp

 Saudações caros visitantes!

Estou passando aqui hoje para lhes mostrar a última estampa que publiquei no Colab55. Gostei bastante desse trabalho, por que ele foi feito tanto à mão, quanto digitalmente e essa interação, apesar de trabalhosa, é muito divertida.

Agora, vamos falar um pouco sobre o processo de produção dessa estampa.
Esse desenho foi feito com nanquim em folha lisa 90 g, usando tanto bico de pena, quando a caneta Pentel Pocket Brush (que aliás, a tinta acabou e tá precisando de recarga, mas o custo esta muito alto). Depois de finalizar o desenho, digitalizei e tratei ela no Krita. Limpando algumas áreas e redesenhando outras. Já falei que estou amando o Krita hoje? Não? Então vou dizer, ele é incrível!

Depois de tratar o lineart, apliquei retícula com um brush especial do Krita e mudei a cor, para que "conversasse" melhor com as cores de preenchimento.
Fiz alguns testes e decidi trabalhar com uma tabela entre azul e vermelho, variando saturação e valor apenas. E nesse caso, a retículo ajudou a criar tons intermediários mesmo sem existir tons intermediários.
Bom depois de finalizar o desenho, publiquei no Collab55 três variações, a completa, a com lineart preta e a branca.


Gostaram da estampa? Então entra lá no Colab55 e adquira a sua! Uma parte do valor volta para mim e depois é transformada em novas estampas ou em novos materiais para gerar conteúdo para vocês.

Abração e até breve.

Comentários

  1. Um belo trabalho. Não tenho jeito com esse tipo de arte, e não adianta, já tentei e fui muito mal, hehe.

    Você fez muitos croquis antes de partir para o desenho, ou já tinha a ideia em mente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, esses desenhos são "quase" estudos de estampa. Sempre quis desenhar estampa e observando como o pessoal lida com isso, comecei a tentar criar algo "meu". Ainda estou nesse caminho, tentando...

      Quanto ao desenho em si, geralmente tenho uma ideia, tento evitar problemas de Copyright ao esboça-la, depois só limpo o traço e passo nanquim/canetão por cima. Depois digitalizo e trato.

      Mas em geral, não tento ser muito criterioso com esses desenhos, apenas desenho e faço o lineart, é bem livre, o que sair já esta ótimo. Não é exatamente algo que "ganho para fazer". É renda passiva, então tento que equilibrar o tempo de produção com o "possível lucro". Enfim, é isso aí.

      Excluir
  2. Perfeito. Me parece um processo bem livre e intuitivo. E divertido. Se se tornar uma renda passiva, melhor ainda.

    Costumo prestar atenção nas estampas das camisas que as pessoas estão usando... isso é meio que automático pra mim. Às vezes até pega mal, porque eu ficou olhando o corpo dele ou dela... haha

    Prefiro trabalhos como o seu, estampas com ilustrações. Aquelas como montagens não me agradam muito.

    Deve ser legal ver alguém usando uma estampa de nossa autoria. Eu, certamente, iria gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkkkk deve ser bem freak kkkkkkkkkk

      Tento não ficar olhando as estampas assim tbm, mas me irrita quando quero ler algo e a pessoa passa com pressa. Kkkkkkkkkk

      É um processo bem livre, sem cobrança de qualidade. A ideia é só fazer msm. Algumas dessas estampas, eu msm quero comprar para mim.

      Até que as estampas de montagem não me incomodam, mas as de desenho me atraem mais.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Oil Pastel

Saudações caros visitantes! Até cerca de uma semana atrás, dos materiais que eu possuo, acreditava que os pasteis oleosos eram os mais difíceis de se utilizar. Tentei aprender como funcionavam em três oportunidades diferentes e em nenhuma delas, obtive resultados satisfatórios. Mas isso mudou quando resolvi me desafiar. No início, fiz testes explorando as variações de cores disponíveis em desenhos bem simples. E a medida que comecei a entender melhor como utilizar o material, me arrisquei em pinturas mais complexas como a desse peixe logo acima. A seguir, o desenho à direita (a fruta de uma árvore de cacau), foi o primeiro desafio que me propus com os gizes. Usei basicamente as cores amareladas, avermelhadas e marrons, além do branco. O desenho à esquerda, foi o segundo realizado com os pasteis. Nele, testei basicamente os amarelos e o branco. A seguir, nos desenhos à esquerda, fiz testes com os gizes que possuem cores avermelhadas e esverdeadas. Já no desenho da direit

Boitatá | Gouache

Saudações visitantes! Vocês já assistiram alguma série que os deixou animados? Loucos para verem o próximo episódio? Então, assisti recentemente a série  Cidade Invisível , da Netflix. Ela foi inspirada no folclore brasileiro e apesar de não ter o roteiro perfeito, me deixou empolgadíssimo. Chegou ao ponto de postergar a conclusão da série a fim de saborear melhor a história e os personagens. Enfim, todo esse hype me fez criar a pintura que vêm a seguir. Ela foi inspirada pela lenda do Boitatá, uma criatura mítica do nosso folclore e que, apesar de não aparecer na série (ainda), é uma das minhas preferidas. Segundo a Wikipedia: Boitatá é um termo tupi-guarani, usado para designar, em todo o Brasil, o fenômeno do fogo-fátuo, e deste derivando algumas entidades míticas, das primeiras registradas no país. Para compor a pintura, usei fotos de referência da floresta amazônica e de algumas cobras. Queria representar um ambiente escuro para que o brilho do fogo se destacasse e eu acho que c

Minhas três melhores borrachas

 Saudações visitantes! Vou voltar a fazer um tipo de postagem que eu usava muito no blog antigo, são as "postagens drops ". Elas geralmente são sucintas e em sua maioria, análises práticas. Nessa publicações, muitas vezes apenas exponho minha opinião ou experiência com algum material ou como o utilizo. Espero que gostem! Infelizmente, não vou ter fotos desses materiais para mostrar, por que eu não fiz essas fotos quando comprei esses itens. Sendo assim, vou usar fotos da internet mesmo e vou citar as fontes para evitar dor de cabeça. Lembro ainda que essa é a minha opinião, você pode experimentar esses materiais e chegar às suas próprias conclusões. Te convido à expor suas opiniões nos comentários também, o aprendizado deve ser uma constante. Vamos aos itens: 3° - Borracha Faber-Castell Preta FC Max Na época que comprei essa borracha, cismei que precisava recompor minha bolsa de materiais para desenho e esboço com materiais da cor preta. Por causa disso, comprei essa borracha